IoT está criando novos fornecedores de software, constata Gartner

B2B Magazine

Switch to desktop Register Login

IoT está criando novos fornecedores de software, constata Gartner

IoT está criando novos fornecedores de software, constata Gartner Reprodução

 

Novas pesquisas do Gartner apontam que a Internet das Coisas (IoT) está transformando diversos fabricantes em novos fornecedores de software, que necessitam de soluções de Licenciamento e Gestão de Direitos (Licensing and Entitlement Management – LEM).

 

Ao deslocarem o valor do produto do hardware do dispositivo para o software que opera no aparelho e aplicando uma estratégia de licenciamento adequada, os estrategistas de fabricação de produtos podem maximizar o potencial dos valores de receita.

 

"A IoT está criando um novo tipo de fornecedor de software, para o qual o Licenciamento e Gestão de Direitos é vital para proteger, diferenciar e monetizar suas ofertas. Esperamos que, até 2020, deixar de empregar um sistema de LEM resulte em uma queda de 20% no potencial de receita gerada por software para fabricantes de dispositivos conectados à IoT", explica Laurie Wurster, Diretora de Pesquisas do Gartner.

 

Na visão da empresa, diversos fabricantes ainda aplicam uma mentalidade tradicional para seus produtos e não consideram as oportunidades de receita adicionais de software e aplicativos incorporados controlados por licenciamento. A maioria dessas empresas são novas fornecedoras de software, principalmente fabricantes de dispositivos e de equipamentos originais, que agora podem monetizar seu software, bem como os dispositivos, por meio da IoT. Para essas empresas, a IoT representa uma oportunidade comercial significativa.

 

"Ao monetizarem o software em seus dispositivos, os fornecedores poderão aumentar e propulsionar fontes de receita, criando bilhões de dólares em valor adicional. A estimativa é de que existam mais de 25 bilhões de 'coisas' no mercado. Se os fabricantes pudessem coletar, em média, US$ 5 por software de cada unidade instalada, isso geraria uma receita adicional estimada em US$ 130 bilhões”, aponta Wurster.

 

Em um futuro próximo, a IoT conduzirá transformações comerciais para diversos fabricantes, permitindo o uso do software no dispositivo para diferenciar ofertas de produtos e soluções. Como fornecedores na indústria de software tradicional, os fabricantes de dispositivos precisam proteger e monetizar a propriedade intelectual contida nos aplicativos.

 

Para a diretora de pesquisas, controlando as funcionalidades dos produtos, os recursos e as capacidades dos dispositivos conectados à Internet por meio de licenciamento flexível, os fabricantes poderão competir melhor em mercados novos e atuais. “Além disso, a configuração controlada pelo software fornece aos fabricantes mais flexibilidade para regionalizar suas ofertas e desenvolver soluções de nicho para mercados específicos, sem precisar fabricar unidades de manutenção de estoque de produto separadas", complementa.

 

A pesquisa do Gartner indica que a maioria dos fabricantes de dispositivos não possui, ou ainda implementará, sistemas de Licenciamento e Gestão de Direitos comerciais para monetizar a IoT. Isso acontece porque, historicamente, eles não tiveram grande quantidade de propriedade intelectual de software para proteger. Segundo a consultoria, inicialmente eles tentarão construir capacidades de LEM internamente, uma vez que já possuem o histórico técnico e de engenharia que desenvolveu o hardware.

 

"Para alguns, reconhecer a necessidade de uma solução LEM é uma primeira etapa viável. No entanto, os fabricantes estão começando a questionar os motivos de reverter recursos de alto valor para o desenvolvimento e a manutenção de sistemas de LEM. Conforme aumenta a necessidade de dimensionar e reagir rapidamente às condições de mudança do mercado, os fabricantes podem eventualmente começar a comprar soluções prontas. Fornecedores de produtos comerciais continuam a expandir seu conjunto de capacidades e a investir na busca de novos modelos de licenciamento. Isso torna essas soluções uma alternativa atraente para fabricantes de dispositivos que não desejem construir e manter um software interno de LEM", finaliza Wurster.


Leia mais:
O desafio da Internet das Coisas
Como fica o mercado com a Internet das Coisas?
Até onde a Internet das Coisas pode chegar?

 

Compartilhe:

Submit to FacebookSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

B2B Magazine 2017 - Todos os direitos reservados.

Top Desktop version