6 mitos sobre relacionamento com cliente nas redes sociais

B2B Magazine

Switch to desktop Register Login

6 mitos sobre relacionamento com cliente nas redes sociais

6 mitos sobre relacionamento com cliente nas redes sociais Reprodução

 

Ter um bom relacionamento com os clientes é fundamental para o sucesso de uma marca. Com o “boom” das redes sociais que vivemos hoje, os consumidores estão cada vez mais propensos a expressar suas opiniões sobre uma determinada marca ou produto, viralizando essa mensagem a potenciais clientes. Se essas pessoas não forem bem atendidas, vão se transformar em detratores da marca (conhecidos como “haters”), criando testemunhos negativos e causando grandes prejuízos.

 

Ao analisarmos o mercado e o comportamento dos consumidores, observamos por meio de pesquisas que a maioria dos usuários consideram as redes sociais como sendo o meio mais eficiente de atendimento. 64% deles reclamam em plataformas sociais após serem mal atendidos pelo SAC tradicional e elegem o Facebook como a plataforma de propagação de sua mensagem.

 

Para se adaptar a esta nova forma de relacionamento, as empresas estão adotando a estratégia de CRM Social, que é a evolução do tradicional CRM (Customer Relationship Management) ou estratégia de gestão de relacionamento com os clientes, com foco nas redes sociais e web. O CRM Social tem um grande potencial, mas percebo que alguns vícios do mercado reduzem sua eficiência durante a implantação. São na verdade mitos, criados durante a evolução do CRM e muitas vezes usados para explicar questões difíceis de compreender na época, na qual havia uma mínima noção de Big Data e sobre o real poder da opinião de um único consumidor social.

 

1 - CRM Social é uma ferramenta

CRM é o acrônimo para Customer Relationship Management ou Gerenciamento das relações com consumidores e é uma estratégia e não uma ferramenta, como muitas pessoas dizem. As ferramentas ou softwares são utilizados na automatização dos processos e na análise e medição dos resultados da estratégia, prática fundamental em uma estratégia focada nos canais digitais.

 

2 - CRM é uma ferramenta de vendas

Sem vendas não existem clientes. Porém, apenas com vendas também não existirão clientes a médio e longo prazo, caso não se crie um relacionamento duradouro.


A manutenção, fidelização do cliente e consequente geração de novas vendas com as indicações destes mesmos em redes sociais, por exemplo, depende do relacionamento.

 

Parece básico, mas muitas empresas esquecem que cliente mal atendido no pós-vendas e durante o relacionamento comercial irá difamar a marca nas redes sociais e não voltará a fazer negócios. Por esse motivo, normalmente o ciclo do CRM é pautado por uma tríade: vendas, promoção e atendimento. Se a estratégia de CRM das empresas se baseiam apenas em um desses pilares é melhor repensar o que se perdeu no caminho.

 

3 - E-mail, gerenciador de projetos, agenda de vendas: tudo é CRM

Como em qualquer estratégia, utilizam-se diversas ferramentas para sua execução. Por sua característica multidisciplinar e multicanal, o CRM se espalha por todos os departamentos de uma empresa e por diversos canais de contato com o cliente. Para se gerenciar uma estratégia de CRM completa são necessárias diversas ferramentas. O ponto é, ao adquirir um software de CRM para gerenciar sua estratégia, faça a pergunta básica: como a sua empresa irá vender, promover e atender clientes com este software? Se a resposta for: me atenderá parcialmente, lembre-se que o investimento em outros softwares complementares será necessário para fechar o ciclo. Realize então uma análise dos custos e dos benefícios desta aquisição e do impacto em todas as áreas da sua empresa.

 

4 - A mesma estratégia de atendimento é utilizada em todos os canais

O cliente que utiliza um canal nem sempre é o mesmo que utiliza outro. Portanto, apenas repetir o script pode não funcionar. Já se sabe que as gerações mais novas preferem os canais digitais como web e redes sociais para serem atendidas. Muitas empresas falham ao subestimar o poder da venda e da fidelização desses canais. Por exemplo: o site da sua empresa e suas redes sociais juntos podem gerar milhões em vendas ou no mínimo impedir que sejam perdidos milhões por falta de gerenciamento e atendimento adequado.

 

5 - Não preciso de CRM para gerenciar o relacionamento com meu cliente

Então, boa sorte, pois neste exato momento diversos clientes podem falar sobre sua marca ou produto nas redes sociais. Ou pior, pesquisar opções de seu concorrente por não ter encontrado a sua marca. Mas o pior mesmo será não receber qualquer “feedback” seu, o que será encarado pelo consumidor social como uma falha bem grave. Esses clientes não voltarão a fazer negócios com sua empresa, segundo pesquisas, nem a procurar sua empresa ou ao menos lhe indicar.  

 

O mesmo pode acontecer com o site da sua empresa e outros canais digitais que não estão sendo monitorados e nem estão interagindo com seu consumidor de forma adequada. Na maioria dos casos, não é necessário um acompanhamento em tempo real, mas ao menos uma visão macro do comportamento de seus canais digitais é o mínimo para iniciar uma tomada de decisão consistente e passar uma boa imagem ao cliente.

 

6 - Uma “Euquipe” dá conta do recado

Ao analisar os dados gerados pelos consumidores, muitos gestores não percebem dois fatores: um deles é a riqueza das informações compartilhadas pelos clientes espalhadas sem organização por diversos canais; o outro é o volume de trabalho necessário para extrair e cruzar esses dados dentro da empresa com o objetivo de criar um diferencial nas estratégias de comunicação e relacionamento.

 

Porém, muitas empresas subestimam esses fatores e delegam todo o trabalho a um único profissional ou a uma “euquipe”, que muitas vezes não está dedicada e focada a esta atividade específica, mas sim a dezenas de outros projetos paralelos. Obviamente não atingem o resultado esperado e culpam as ferramentas.

 

Por isso, muitas vezes vale a pena terceirizar parte do projeto para empresas especializadas a fim de reduzir custos, melhorando o desempenho, satisfação do consumidor e o gerenciamento do processo, criando indicadores reais e eficientes sobre seus consumidores e sob o ciclo de consumo para tomada de decisão.

 

*José Jarbas é o CEO e fundador da eCRM123

 

Leia mais:
Queremos atendimento via rede social
No Facebook, conte histórias
5 tendências de marketing digital em 2015

 

Compartilhe:

Submit to FacebookSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

B2B Magazine 2017 - Todos os direitos reservados.

Top Desktop version