Abertura de novos negócios registra recorde no primeiro trimestre

B2B Magazine

Switch to desktop Register Login

Abertura de novos negócios registra recorde no primeiro trimestre

Abertura de novos negócios registra recorde no primeiro trimestre Shutterstock

 

O número de novas empresas registrado no primeiro trimestre deste ano registrou novo recorde, segundo mostrou estudo divulgado hoje (30) pela Serasa Experian. Ao todo, o País ganhou 516.201 novos negócios – o maior número para o período desde 2010. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve aumento de 7,5%.


Considerando apenas março, foram abertas 184.560 novas empresas – um recuo de 0,2%. Segundo os economistas da instituição, o aumento das novas empresas foi influenciado pelo crescimento dos empreendedores individuais. No período, o número de MEIs totalizou 413.555, um crescimento de 14% sobre o mesmo período de 2015.


“Este movimento tem sido determinado, principalmente, pela perda de postos formais no mercado de trabalho por causa da recessão econômica, impulsionando trabalhadores desempregados a buscarem, de forma autônoma e formalizados, alternativas econômicas para a geração de renda”, disse a Serasa.


Segundo o estudo, apenas os MEIs apresentaram crescimento no trimestre. Os negócios das outras naturezas jurídica apresentaram queda: o número de nascimentos em Empresas Individuais caiu 13,8% no período, com 38.553 novas empresas.
As Sociedades Limitadas também registraram recuo, de 16,7%. O nascimento de empresas de outras naturezas teve queda de 2,9% e totalizou 24.099.


Por setor, serviços segue como aquele que apresenta maior crescimento, com a abertura de 324.984 novas empresas, o equivalente a 63% do total de nascimentos. Em seguida, 146.830 empresas comerciais (28,4% do total) surgiram nos três primeiros meses do ano e, no setor industrial, foram abertas 43.163 empresas (8,4% do total).


Tendo em vista esses números, a participação do comércio segue em queda livre: de 35%, em março de 2010, para 28,4%, em março deste ano. Já a participação das novas empresas industriais se mantém estável. Já a participação de serviços passou de 53,5%, em março de 2010, para 63%, em março de 2016.

 

Compartilhe:

Submit to FacebookSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
" num_posts="7" width="600">

B2B Magazine 2013 - Todos os direitos reservados.

Top Desktop version