Open source: mercado brasileiro deve dobrar até 2017

B2B Magazine

Switch to desktop Register Login

Open source: mercado brasileiro deve dobrar até 2017

Open source: mercado brasileiro deve dobrar até 2017 Shutterstock


A Red Hat, maior fornecedora de software open source do mundo, realizou o Red Hat Forum São Paulo com o tema Energize Your Enterprise, que reuniu os principais líderes de TI do país em sessões ao vivo para discutir as últimas tendências em open source.
 
De acordo com o presidente da empresa no Brasil, Gilson Magalhães, o uso de soluções open source no país deve, no mínimo, dobrar nos próximos anos. “As inovações migraram de origem e agora são derivadas de novos esforços. São mais de um milhão de projetos espalhados em comunidades de open source pelo globo”, explica. “É inimaginável pensar em tendências como internet das coisas, em que empresas precisam conectar mais de 20 milhões de dispositivos, sem o open source”.

 
Em seguida, Jim Totton, vice-presidente mundial de Infraestrutura da Red Hat, disse que a TI tradicional de soluções fechadas não é capaz de atender às demandas crescentes do mundo digital. “A experiência na nuvem, por exemplo, depende diretamente dos data centers. O open source nos dá novas abordagens para desenvolver soluções mais rápidas para o negócio”, explica. “O Heartbleed, por exemplo: criamos rapidamente uma solução que foi oferecida ao mercado para que os data centers pudessem verificar possíveis vulnerabilidades”, conta. “Por meio de comunidades, podemos adaptar simples aplicações para que se tornem soluções empresariais robustas”.

 
Apenas 20% dos orçamentos de TI são voltados para inovação
Boris Kuszka, Solution Architect Senior Manager da Red Hat explica que tendências como internet das coisas e o conflito entre TI empresarial e TI pessoal têm criado um grande gap tecnológico nas empresas.

 
“A TI vive o dilema de seguir funcionando normalmente e diminuir esse gap”, explica. “Quase 80% do budget de TI é voltado apenas para manter os sistemas rodando, enquanto 20% é gasto em inovação”. A ideia de adotar soluções de open source é uma das maneiras de preencher essa lacuna.
 
Bimodal é tendência
Atualmente, 50% das empresas do mundo já praticam TI bimodal. A informação é de Henrique Cecci, diretor de pesquisa do Gartner. De acordo com Cecci, 75% das empresas praticarão esse tipo de TI até 2017. Em sua visão, essa abordagem não é mais algo opcional, mas essencial para o mundo atual.

 
O modelo de TI bimodal consiste na adoção de dois modos de TI empresarial, um voltado para o uso tradicional do dia a dia, enquanto o outro é focado na transformação do negócio por meio da inovação.

 
“No Brasil, é comum ver empresas cortarem os custos em inovação para investir nas camadas mais básicas e tradicionais na esperança de ‘sobreviver’. Mas não dá para viver de sobrevivência”. Cecci destaca que tanto a TI tradicional quanto a TI não-linear devem trabalhar juntas. O diretor de pesquisa destaca que cada vez mais empresas estão vendo a necessidade de investir em inovação.

 

Leia mais:
Cinco motivos para investir em open source
Governança da informação está em alta nas empresas
TI: oportunidades crescem mesmo em cenários desfavoráveis

 

Compartilhe:

Submit to FacebookSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

B2B Magazine 2017 - Todos os direitos reservados.

Top Desktop version